Federalização do Caso do Cabula, Já!

No caso da chacina do Cabula, ocorrida em dia 6 de fevereiro de 2015 (leiam as Primeiras Denuncias publicadas por Fernando Conceição, no dia 7 de fevereiro de 2015), existe

Um Imperativo Democrático de Justiça!

O Ministério Público da Bahia denunciou uma execução sumária das 12 vítimas e pediu a prisão preventiva dos 9 policias, autores dos 144 disparos entre os quais 88 atingiram seus alvos. O Ministério Público ainda afirmou: “Todos os laudos cadavéricos indicam — todos — que aconteceu  uma execução. As vítimas estavam em plano inferior a seus agressores. Ou de joelho, ou deitadas”.

E por incrível que pareça, vale lembrar que aquela chacina foi uma mera operação de vingança, dirigida por um subtenente de policia mau-caráter, assim como retrata o artigo do Correio da Bahia: Chacina com 12 mortos no Cabula foi planejada por PMs como vingança.

Apesar das denuncias do Ministério Público e sem ouvir nenhuma testemunha, a Justiça baiana pronunciou uma sentença de absolvição de 10 policiais, um dos quais nem constava na ação. Nota que o MP também investigou a situação das vítimas e comprovou que nenhuma tinha antecedentes criminais, apesar das declarações falaciosas do Governador da Bahia da época. Vejam as declarações do promotor de Justiça Davi Gallo a respeito, no quarto minuto do vídeo: A justiça será feita.

Sobre esta sentença relâmpago absurda, leiam o jornal que primeiro a revelou: Sentença-relâmpago na Bahia absolve policiais por mortes do Cabula assim como o texto de Lena Azevedo, jornalista: Chacina do Cabula: o som ensurdecedor da ancestralidade.

Segundo o próprio Ministério Público, a sentença relâmpago da Tribunal de Justiça da Bahia “atropela todas as regras processuais”. “A Juíza  cometeu a maior insanidade do mundo: desprezar o o artigo 415 do Código Penal e julgar apenas com o Código de Processo Civil”.

Ainda segundo o Ministério Público, “o crime cometido pelos policiais é contra a humanidade“, e por isso merece correr pela Justiça Federal. Após ser solicitado pela REAJA, Organização Política e a Associação Justiça Global, o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot considerou haver incongruência e curiosidades no caso do Cabula.

Em  consequência, Rodrigo Janot, Procurador Geral da República, pediu o deslocamento de competência para apuração dos fatos pelo Supremo Tribunal de Justiça.

Vejam mais detalhes no artigo do Correio da Bahia: Justiça absolve PMs envolvidos na morte de 12 pessoas no Cabula

Com isto, e pela primeira vez na história do Brasil, um caso extraordinário de impunidade policial em caso de execução sumárias de jovens negros assim como de violações dos direitos das vítimas pelas instituições de justiça do estado da Bahia pode vir a ser investigado!

Pelo respeito a vida, vamos lutar e fortalecer a campanha iniciada e impulsionada pela REAJA, Organização Política para exigir que  o Incidente de Deslocamento de Competência seja admitido pelo Supremo Tribunal de Justiça.

                                               Federalização do Caso do Cabula,  Já!

                                                             Fim da impunidade, Já!

Quem leio até aqui e quiser começar a fortalecer a campanha, pode:

Vejam também alguns clipes de quem apoia a federalização: Fernando Conceição, Dexter, Sandra Carvalho, eu (Paul Regnier) e muitos outros na página da REAJA !!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: